Eleva-se o número de famílias com dívidas no Brasil

Se elevou o número de famílias endividadas no Brasil entre os meses de julho e agosto, de acordo com uma pesquisa realizada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio) que mostra a situação do “Endividamento e da Inadimplência do Consumidor”, um aumento que fez subir o número de famílias brasileiras com dividas a quase o 60%, o maior este ano de 2012, além de ser a terceira alta consecutiva registrada pela pesquisa. 21,3% dos entrevistados declararam estar com dívidas em atraso, um leve aumento se comparado ao mês anterior que foi de 21%.

Percentual de Famílias Endividadas agosto 2011 - agosto 2012

Percentual de Famílias Endividadas (% do total)
Entre Cheque pré-datado, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimos pessoal, prestações de carro e seguros

No etanto, o número de famílias que disseram não ter condições de quitar suas dívidas, caiu de 0,2% no mesmo período.

“A percentagem de famílias que relataram estar endividadas com cheque pré-datado, cartão de crédito, carnês, empréstimo pessoal, parcelas de carro e seguros subiu em agosto de deste ano. Se comparado ao mesmo período de 2011, o número de famílias endividadas ainda é menor, quando 62,5% declararam ter dívidas”, publicou a CNC, em nota oficial.

As medidas governamentais de incentivo ao crédito e à aquisição de bens duráveis, segundo afirma a confederação, continuam exercendo impacto sobre o orçamento doméstico.

Um dos principais meios de prorrogação dos pagamentos apontado pelas famílias que declararam estar endividadas foi o cartão de crédito, utilizado por 73,2% destas. Nesta ordem vieram com quase 19% do total, os carnês e 12,4% no financiamento de automóveis.

Em famílias com rendimentos até 10 salários mínimos o endividamento é maior, com índice  de 2,5% a mais se comparado ao mês de julho. Também aumentou este índice  para as famílias que ganham acima deste valor, passaram de 50,5% em julho para 53,6% em agosto

Famílias com Contas em Atraso (% do total) no 2011-2012

Percentual de Famílias com Contas ou Dívidas em Atraso (% do total)

A pesquisa mostra que é no grupo das famílias com rendimentos até 10 salários mínimos que as contas mais atrasaram entre os meses de julho e agosto e no qual se declara ter poucas chances de pagar as contas em atrasadas. Um aumento de 0,8% de julho para agosto.

Demonstra a pesquisa da CNC ainda que a média de atraso no pagamento das contas foi de 58,4 dias no mês de agosto. A porcentual média de comprometimento com dívidas de até três meses foi de 27,3% e, de até 1 ano, de 27,2%. Neste mesmo mês, a fatia média da renda das famílias comprometida com dívidas a pagar foi de 29,6%, dos quais 17,4% com dívidas que tomam mais de 50% dos rendimentos familiar.

Deixe um comentário